Portal da Prefeitura de Campo Largo.

Projeto discute a importância da mulher na cultura local e nacional em ciclo de debates

“Mulheres, Semeadoras de Cultura” reúne palestras, debates e publicação de livro sobre o tema.

Publicada em: 22/11/2017 às 15:58

Questões relacionadas à participação, contribuição e influência da mulher na cultura local e nacional, serão abordadas na mesa redonda “Mulheres, Semeadoras de Cultura”, na próxima quarta-feira (29), no Inspirarte - Centro Cultural de Campo Largo. Aberto ao público, o evento busca refletir sobre o tema, motivando a diversidade de abordagem e de perfil de mulheres palestrantes e debatedoras. Ação acontece das 13h30min às 16 horas.

Campo Largo é a primeira, das três cidades, que receberão o ciclo de  palestras. O projeto promovido pela ICEN – Instituto Cecílio Elias Netto, em parceria com a B2 Comunicação vai passar ainda, por Sete Lagoas (MG) e Piracicaba (SP).

A primeira edição do evento contará com a participação das palestrantes e debatedoras, Lindamir Ivanoski, Daviane Chemin, Valderez Parolin Teixeira.

 

 

 

Publicação de Livro -  “Mulheres, Semeadoras de Cultura”

De autoria do jornalista e escritor Cecílio Elias Netto e com previsão de publicação entre março e maio de 2018, o livro “Mulheres, Semeadoras de Cultura” ressalta a importância da mulher no processo cultural, por meio de sua influência, conquistas e contribuições para a formação, preservação e desenvolvimento da cultura em seus diversos aspectos, do âmbito local ao mundial. Com capítulo específico, o livro contará referente ao ciclo de palestras e debates que refletirão realidades locais.

O projeto, aprovado para captação de recursos pela Lei Rouanet (Lei Federal de Incentivo à Cultura – n0 8313, de 23/12/1991), conta com o Patrocínio da Caterpillar. O conteúdo dos eventos será transcrito e subsidiará a produção de capítulo específico do livro “Mulheres, Semeadoras de Cultura”.

  

 

O Livro

O livro “Mulheres, Semeadoras de Cultura” vai abordar um tema bastante abrangente, buscando investigar a importância e influência da mulher na formação, preservação e desenvolvimento da cultura. Seu conteúdo traçará um passeio pela história, registrando inúmeros recortes da trajetória feminina: partindo de Eva, a primeira mulher; reverenciando o universo mítico das deusas; alcançando as grandes e fortes figuras femininas que marcaram diversos momentos históricos; resgatando mulheres inovadoras que abriram e conquistaram espaço em diversos segmentos; valorizando a atuação feminina no campo das artes; entre diversos outros aspectos, não menos importantes.

Em capítulo específico do livro, a referência local ganhará vida por meio do conteúdo gerado pelo ciclo de palestras que debaterá o tema na perspectiva de mulheres piracicabanas (SP), campolarguenses (PR) e setelagoanas (MG).

 

O Instituto

(em www.icen.org.br conheça o Instituto, suas publicações e realizações) Criado em 25 de agosto de 2015, em Piracicaba, SP, o ICEN – Instituto Cecílio Elias Netto é uma entidade sem fins lucrativos, que tem por finalidade: resgatar, preservar, cultivar e propagar o patrimônio histórico cultural de Piracicaba; produzir e estimular projetos culturais em geral, que valorizem a diversidade, as artes, a integração e a interdependência da cultura com os contextos social e ambiental.

 

O Jornalista e Escritor

Nascido em Piracicaba, no dia 24 de junho de 1940, Cecílio Elias Netto é jornalista, bacharel em Direito e escritor, com cerca de 30 livros publicados, entre as quais: 3 “Bagaços da Cana”, “Bom Dia – Crônicas do autoexílio e da prisão”, “Dicionário do Dialeto Caipiracicabano – Arco, Tarco e Verva”, trilogia sobre a cidade (“Piracicaba que amamos tanto”, Piracicaba, um rio que passou em nossa vida”, “Piracicaba, a doçura da terra”), “Piracicaba, a Florença Brasileira”.

Apaixonado por sua terra natal, Cecílio, desde muito jovem, abraçou a missão de se aprofundar, preservar e propagar a riquíssima história de Piracicaba. O expressivo número de obras publicadas (como jornalista e escritor) e a posse de amplo material iconográfico da cidade de Piracicaba, fazem do jornalista um colecionador de rara expressão e fonte aos que buscam aprofundar-se na história do município. A preservação de seu significativo acervo de fotos, negativos, cartões postais, desenhos, gravuras, documentos, jornais, revistas e livros – abrangendo um período cronológico que se estende do século 19 aos dias atuais –, foi um dos estímulos para a criação do ICEN.

 

 

Notícias na mesma categoria

Mais uniformes escolares são entregues aos alunos campo-larguenses
Campo Largo participa da Jornada de Educação Alimentar e Nutricional em Recife
IFPR realiza pesquisa de demanda de cursos superiores em Campo Largo
Professores da Rede Municipal de Ensino visitam Museu Egípcio
Diretoras participam de reunião para contemplarem projetos educacionais às escolas municipais