Portal da Prefeitura de Campo Largo.

Campo Largo institui Comitê e se destaca como Cidade Resiliente

Prefeito quer a resiliência presente em todos os projetos que serão executados pela administração municipal

Publicada em: 27/03/2018 às 14:42

Campo Largo, indicada para ser exemplo de Cidade Resiliente, já tem o seu Comitê Municipal de Resiliência, que se reuniu na semana passada com o prefeito Marcelo Puppi e com o major Eduardo Pinheiro, chefe do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (CEPED/PR), órgão ligado ao Governo do Estado. No encontro, o major Eduardo conversou com os membros do Comitê, destacando a importância da formalização do grupo e do trabalho que deve ser desenvolvido daqui em diante.

Ficou agendada a próxima reunião do Comitê, para o dia 10 de abril, na sede de CEPED, em Curitiba, onde o grupo vai conhecer em detalhes quais os mecanismos que devem ser utilizados e como se preparar para enfrentar as adversidades. A primeira tarefa do comitê será fazer uma autoavaliação da capacidade de resiliência do município em relação às catástrofes por meio do preenchimento do formulário (LG-Sat), no qual pelos menos 100 perguntas devem ser respondidas.

Campo Largo já está dando os primeiros passos para assumir a sua condição de cidade-modelo em resiliência. Preparar-se e preparar a população em geral, para saber o que fazer no momento certo, é um dos desafios da Administração Municipal, através do Comitê Municipal de Resiliência. Esta não é uma preocupação apenas da Defesa Civil, mas da Administração Municipal, que busca preparar a cidade para resistir aos desastres e mais, trabalhar para antecipar-se e evitar que os desastres aconteçam.

O prefeito Marcelo Puppi quer a resiliência presente em todos os projetos que serão executados pela administração municipal ao longo da atual gestão, tanto na área de mobilidade urbana, infraestrutura e, inclusive, em projetos privados.

Tão logo o relatório da autoavaliação de Campo Largo seja concluído, o CEPED informará a ONU, para a formalização da nova condição de resiliência da cidade.

O prefeito de Campo Largo solicitou que o Comitê Municipal de Resiliência também tenha, entre os seus membros, empresários e representantes de grandes empresas instaladas no Município, e que os funcionários destas empresas também sejam treinados para que todos saibam que ser resiliente é preparar-se para enfrentar os desastres naturais, mas também é prevenir para não serem, pegos de surpresa. Ele pediu, ainda, que a campanha atinja, também, escolas e postos de saúde.

Durante o encontro foi lembrado o desastre de 2014, quando o município foi atingido por uma violenta tempestade de granizo que causou muitos prejuízos à população de toda a região. Sabe-se que a nossa região pode sofrer outros desastres como aquele e a grande questão é: “Estamos preparados? O que estamos fazendo para, se outra tempestade de granizo como aquela, nos atingir, os danos não sejam tão elevados?”. Foi destacado, como exemplo de resiliência, o fato de que a maioria das residências, prédios públicos e empresas atingidas, naquela tempestade, na reconstrução se utilizou telhas mais resistentes, inclusive telhas metálicas do tipo sanduiche (com recheio e isopor) e telhas ecológicas, produzidas a partir da reciclagem de embalagens longa-vida, capazes de suportar tempestades de granizo ainda mais fortes do que a que sofremos em 2014.

O Comitê da Cidade Resiliente – CCR, instituido por decreto, pelo prefeito, na semana passada, estará  vinculado diretamente ao Gabinete do Prefeito. É a instância colegiada de deliberação e coordenação da Campanha Mundial Construindo Cidades Resilientes da Organização das Nações Unidas – ONU -, no município de Campo Largo.

No decreto, o prefeito destacou a responsabilidade do CCR de promover a intersetorialidade, propiciando ações integradas para implementação do Marco de Sendai e para a elaboração do Plano Local de Resiliência/Plano Municipal de Proteção e Defesa Civil.

A Coordenação do Comitê da Cidade Resiliente – CCR ficou a cargo da Secretaria Municipal de Ordem Pública por intermédio da Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil, e será composto por um representante titular e um suplente dos seguintes órgãos municipais: Secretaria Municipal de Ordem Pública; Secretaria Municipal de Administração, Tecnologia e Informação; Secretaria Municipal de Educação e Esportes; Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente; Secretaria Municipal de Governo; Secretaria Municipal de Finanças e Orçamento; Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social; Secretaria Municipal de Saúde; Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Assuntos Metropolitanos, e Secretaria Municipal de Viação e Obras.

O prefeito pediu, ainda, aos membros do CCR, estudos para aumentar o grau de consciência e compromisso da população, em torno das práticas estabelecidas na Plataforma Global para a Redução do Risco de Desastres – Sendai.

Notícias na mesma categoria

Cantora campo-larguense vai Cantar Hino Nacional em Esperanto
Atenção Servidores Municipais:
População pode fazer sugestões para a elaboração da LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias/2019
Projeto “Esqueça um Livro”
Evento Cultural do Museu Histórico de Campo Largo