Portal da Prefeitura de Campo Largo.

Campo Largo dá mais um passo para se tornar modelo de cidade resiliente

Representantes dos poderes público, privado e população envolvida conversam sobre estratégias e mecanismos para prevenir e sanar possíveis desastres

Publicada em: 10/05/2018 às 17:10

Vidas e bens serão preservados pela ação preventiva, se a cidade estiver preparada para evitar os riscos dos desastres. Esta foi a síntese da reunião realizada na noite da última quarta-feira (09), pela Prefeitura Municipal, na Câmara Municipal, através do Comitê de Resiliência de Campo Largo, dentro da campanha da ONU “Construindo Cidades Resilientes”. O major Eduardo Pinheiro, diretor do CEPED – Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres, destacou a importância da cidade estar se preparando para se tornar exemplo nacional em resiliência.

Ao abrir o evento, o prefeito Marcelo Puppi anunciou a assinatura do projeto e construção das casas populares para todos os quilombolas, no Palmital dos Pretos, lembrou da aprovação dos projetos de lei que dá a recomposição salarial de 5% aos servidores públicos e disse que a noite é, para ele, histórica, “porque Campo Largo, Cidade Resiliente, não é uma invenção da Prefeitura Municipal, é uma campanha do Governo do Estado do Paraná, que traz a chancela da ONU.

Resiliência

Segundo o prefeito, “uma Cidade Resiliente é uma cidade que tem a capacidade de recuperação. A Defesa Civil trabalha para salvar as pessoas em situação de risco, e a Cidade Resiliente é aquela que define o papel de cada um, de maneira profissional, sabe para onde vamos, como vamos, e o que vamos fazer”. Lembrou que a Cidade Resiliente  não é a cidade onde o prefeito dirige uma tropa, mas onde o prefeito pode ser o líder, mas que cada cidadão sabe qual é o seu papel.

O prefeito falou, ainda, das dificuldades para a solução de problemas que causam alagamentos e prejuízos, destacando o desassoreamento dos rios, quando os órgãos ambientais não permitem. Lembrou a situação dramática, a cada chuva, dos moradores do Dona Fina, Bateias, Itaqui, Santa Ângela e outros bairros que têm áreas sujeitas a alagamentos. Disse que esse círculo vicioso precisa ser interrompido, e esse é um trabalho para uma Cidade Resiliente. Disse que Cidade Resiliente é para que, no caso de um acidente, cada um saiba o que fazer, para que todos saiam daquela situação no menor espaço de tempo e sem risco.

Em outro ponto do seu discurso, o prefeito disse que não dá mais para deixar as pessoas construírem casas nas margens dos rios. “É preciso uma campanha de conscientização para que a população não jogue lixo nos rios. Pediu uma resposta da mesma sobre a questão da resiliência: “Queremos uma cidade resiliente ou não? Como vamos às fábricas falar com os trabalhadores, a uma escola falar com os estudantes e seus pais? Mas temos, antes de tudo, que acabar com a burocracia, que é prima-irmã da vadiagem, e prima-irmã da corrupção”. E finalizou o seu pronunciamento dizendo que “a cidade tem que se organizar, ou não chegaremos a lugar nenhum. É preciso sair da zona de conforto e dizer dá, dá pra fazer”.

O presidente da Cocel, José Arlindo Chemin, destacou o importante trabalho da empresa de energia de Campo Largo, lembrando que a Cocel já trabalha a resiliência no seu dia-a-dia e está sempre preparada para qualquer evento, com eficiência, com ações necessárias para mitigar cada risco. “Precisamos trabalhar e nos organizar para que não sejamos pegos de surpresa, num acidente grave”, explicou.

O major Pinheiro falou sobre o programa da ONU, a escolha de Campo Largo e o interesse do Governo do Estado para acompanhar o trabalho que está sendo desenvolvido em Campo Largo, para que a cidade seja modelo nacional em resiliência.

Notícias na mesma categoria

Secretaria Municipal de Ordem Pública convida Major Pinheiro para diálogo com membros do Comitê de Resiliência de Campo Largo
Guarda Municipal recebe importante investimento em equipamentos menos letal
Campo Largo é o primeiro município paranaense a completar a autoavaliação da Resiliência
Campo Largo dá mais um passo para se tornar modelo de cidade resiliente
Comitê de Resiliência realiza reunião com líderes do Executivo